:: Márcio Oyama > Autoral


<<




:: Adeus



(13/02/2006)


É o fim. Acabou. Não vejo mais motivo para continuar. Não tenho mais ânimo para seguir em frente. É o vazio, um grande vazio, que me leva a fazer isso.

Os amigos, sim, são muitos. A família também está presente. Mas falta algo. Algo fundamental, que não consigo definir. O toque, o olhar, a alma; uma voz, um ombro… Não sei. Sei apenas que o que procuro não está neste mundo.

Talvez não encontre nada fora dele também. Não faço ideia do que me espera na outra dimensão. Um vazio tão grande quanto o que me envolve agora? A luz? A escuridão? A paz? O inferno?

O fato é que preciso tentar. Buscar uma nova realidade, um novo plano, uma nova existência. Devo isso a mim mesmo. Não posso mais ficar aqui.

Às pessoas que me acompanharam nesta longa empreitada, muito obrigado. Com certeza, nos encontraremos do outro lado. Levo comigo todos os encontros, reencontros e desencontros que vivi entre um scrap e outro.

É hora de dizer adeus, Orkut. É hora de dizer adeus, comunidades. Me deleto com pesar, mas com esperança. Com a esperança de que haja vida fora do seu fundo azul.


Por Márcio Oyama


<<